Certificação AQUA – Alta Qualidade Ambiental

Lançada pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini, a certificação Aqua (Alta Qualidade Ambiental) é baseada em normas européias, com indicadores adequados à realidade brasileira. A iniciativa decorre de parceria entre a entidade, o Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e o Centre Scientifique et Technique du Bâtiment (CSTB), instituto francês considerado referência mundial em pesquisas na construção civil. Uma das diferenças entre o Aqua e o selo norte-americano Leed, lançado recentemente no Brasil, é a avaliação e a certificação do edifício em fases, atendendo a requisitos.

No total, o Aqua estabelece 14 itens que precisam ser atendidos dentro de três níveis de classificação: bom, superior e excelente. No mínimo, precisam ser atendidos três requisitos no grau excelente e, no máximo, sete no nível bom. Essa é a diferença em relação ao sistema americano, que soma pontos. Os 14 critérios avaliados são:

1. relação do edifício com o seu entorno
2.escolha integrada de produtos, sistemas e processos construtivos e
3.canteiro de obras com baixo impacto ambiental
4.gestão da energia
5.gestão da água
6.gestão dos resíduos de uso e operação do edifício
7.manutenção: permanência do desempenho ambiental
8.conforto hidrotérmico
9.conforto acústico
10.conforto visual
11.conforto olfativo
12.qualidade sanitária dos ambientes
13.qualidade do ar
14.qualidade da água

Três fases para avaliar o edifício

Além da abrangência e da flexibilidade, outro aspecto do Aqua é que o processo de avaliação e certificação ocorre em três fases distintas, classificadas como Programa, Concepção e Realização. Todas passam por auditoria da Fundação Carlos Alberto Vanzolini e recebem certificado específico. Em Programa são estudadas as características do local e do tipo de construção, para se determinar o perfil de desempenho desejado nas 14 categorias. O empreendedor poderá programar a qualidade ambiental que deseja para o edifício e estabelecer o sistema de gestão. O certificado dessa fase pode ser usado no lançamento da obra. Na fase Concepção, a construção será projetada para atender aos quesitos da qualidade ambiental do edifício, definindo-se com detalhes como o perfil planejado será atingido. Quando a obra é concluída e entregue, é feita a última avaliação e certificação. Essa é a etapa Realização, que indicará se o prédio foi realmente construído dentro do parâmetro projetado.

(Fonte:Arcoweb)

Acesse o site da Fundação Vanzolini e baixe gratuitamente as guias e referenciais.

A Ecodhome, em parceria com a Vertes, fornece consultoria para alcance do selo AQUA. Entre em contato!

Anúncios

Tudo o que você precisa saber sobre o LEED

O sistema de pontuação utilizado para a certificação LEED® foi criado com o objetivo de transformar o setor de construção em um setor sustentável. Ele fornece padrões que definem o que é um green building, ou seja uma edificação verde ou sustentável.

O processo de certificação LEED® acompanha todo o cronograma do empreendimento, desde a fase inicial da escolha do local e o desenho do projeto até a entrega da obra.

Após a sua finalização e o início de operação do empreendimento, informações relativas ao projeto e o processo de construção são encaminhadas ao US GBC que, em um prazo de 25 dias úteis, realiza uma auditoria documental. Novas informações podem ser solicitadas à equipe do empreendimento para uma segunda avaliação. Deve-se considerar um prazo médio de 4 a 6 meses após a conclusão da obra para obter a certificação LEED®. Apesar destas previsões, o processo pode demorar mais devido a quantidade de comprovações, simulações e documentações necessárias e a falta ainda de uma metodologia de trabalho para a equipe de projeto e avaliação.

Quais são os pré-requisitos e a pontuação para certificar:

Pré-requisitos: São requisitos mínimos a serem atendidos pelo projeto, para que o mesmo tenha direito a acumulação de pontos para certificação, caso não sejam atendidos o projeto não poderá ser certificado.

Pontuação: A pontuação varia de acordo com a categoria a ser atendida, a partir de um número mínimo de pontos a construção poderá ser certificada, podendo ser: Certificada, Prata, Ouro ou Platina.

Segue o sistema de pontuação LEED para Novas Construções v2.2

Sustentabilidade do Espaço – 14 Pontos

Pré-requisito 1 – Prevenção da poluição na atividade da Construção
Crédito 1 – Seleção do Terreno – 1 ponto
Crédito 2 – Densidade Urbana e Conexão com a Comunidade – 1 ponto
Crédito 3 – Remediação de áreas contaminadas – 1 ponto
Crédito 4.1 – Alternativa de Transporte, Acesso ao Transporte público – 1 ponto
Crédito 4.2 – Alternativa de Transporte, Bicicletário e Vestiário – 1 ponto
Crédito 4.3 – Alternativa de Transporte, Uso de Veículos de Baixa emissão – 1 ponto
Crédito 4.4 – Alternativa de Transporte, Redução área de estacionamento – 1 ponto
Crédito 5.1 – Desenvolvimento do espaço, Proteção e restauração do Habitat – 1 ponto
Crédito 5.2 – Desenvolvimento do espaço, Maximinizar espaços abertos – 1 ponto
Crédito 6.1 – Controle da Enxurrada, Controle da quantidade – 1 ponto
Crédito 6.2 – Controle da Enxurrada, Controle da qualidade – 1 ponto
Crédito 7.1 – Redução da ilha de calor, Áreas cobertas – 1 ponto
Crédito 7.2 – Redução da ilha de calor, Áreas descobertas – 1 ponto
Crédito 8 – Redução da Poluição Luminosa – 1 ponto

Uso Racional da Água – 5 Pontos

Crédito 1.1 – Uso eficiente de água no paisagismo, Redução de 50% – 1 ponto
Crédito 1.2 – Uso eficiente de água no paisagismo, Uso de água não potável ou sem irrigação – 1 ponto
Crédito 2 – Tecnologias Inovadoras para águas servidas – 1 ponto
Crédito 3.1 – Redução do consumo de água, 20% Redução – 1 ponto
Crédito 3.2 – Redução do consumo de água, 30% Redução – 1 ponto

Energia e Atmosfera – 17 Pontos

Pré-requisito 1 – Comissionamento dos sistemas de energia
Pré-requisito 2 – Performance Mínima de Energia
Pré-requisito 3 – Não uso de CFC´s
* Nota para EAc1: Todos LEED para Nova Construção de projetos registrados após 26 de Junho de 2007, são necessários alcançar pelo menos, dois (2) pontos sob EAc1.
Crédito 1 – Otimização do desempenho no uso de energia – 1 a 10 pontos
10.5% Prédios novos ou 3.5% Prédios reformados – 1 ponto
14% Prédios novos ou 7% Prédios reformados – 2 pontos
17.5% Prédios novos ou 10.5% Prédios reformados – 3 pontos
21% Prédios novos ou 14% Prédios reformados – 4 pontos
24.5% Prédios novos ou 17.5% Prédios reformados – 5 pontos
28% Prédios novos ou 21% Prédios reformados – 6 pontos
31.5% Prédios novos ou 24.5% Prédios reformados – 7 pontos
35% Prédios novos ou 28% Prédios reformados – 8 pontos
38.5% Prédios novos ou 31.5% Prédios reformados – 9 pontos
42% Prédios novos ou 35% Prédios reformados – 10 pontos
Crédito 2 – Geração local de energia renovável – 1 a 3 pontos
2.5% Energia Renovável – 1 ponto
7.5% Energia Renovável – 2 pontos
12.5% Energia Renovável – 3 pontos
Crédito 3 – Melhoria no comissionamento – 1 ponto
Crédito 4 – Melhoria no uso de gases refrigerantes – 1 ponto
Crédito 5 – Medições e Verificações – 1 ponto
Crédito 6 – Energia Verde – 1 ponto

Materiais e Recursos – 13 Pontos

Pré-requisito 1 – Depósito e Coleta de materiais recicláveis
Crédito 1.1 – Reuso de Materiais, Manutenção 75% Paredes, Forros e Coberturas – 1 ponto
Crédito 1.2 – Reuso de Materiais, Manutenção 100% Paredes, Forros e Coberturas – 1 ponto
Crédito 1.3 – Reuso de Materiais, Manutenção 50% dos elementos interiores não estruturais – 1 ponto
Crédito 2.1 – Gestão de Resíduos da Construção, Destinar 50% para reuso – 1 ponto
Crédito 2.2 – Gestão de Resíduos da Construção, Destinar 75% para reuso – 1 ponto
Crédito 3.1 – Reuso de Materiais, 5% – 1 ponto
Crédito 3.2 – Reuso de Materiais,10% – 1 ponto
Crédito 4.1 – Conteudo Reciclado, 20% (pos-consumo + ½ pre-consumo) – 1 ponto
Crédito 4.2 – Conteudo Reciclado, 10% (pos-consumo + ½ pre-consumo) – 1 ponto
Crédito 5.1 – Materiais Regionais, 10% Extraido, Processado e Fabricado Regionalmente – 1 ponto
Crédito 5.2 – Materiais Regionais, 20% Extraido, Processado e Fabricado Regionalmente – 1 ponto
Crédito 6 – Materiais de Rápida renovação – 1 ponto
Crédito 7 – Madeira Certificada – 1 ponto

Qualidade Ambiental Interna – 15 Pontos

Pré-requisito 1 – Desempenho Mínimo da Qualidade do Ar Interno
Pré-requisito 2 – Controle do fumo Requisito
Crédito 1 – Monitoração do Ar Exteno – 1 ponto
Crédito 2 – Aumento da Ventilação – 1 ponto
Crédito 3.1 – Plano de Qualidade do Ar, Durante a Construção – 1 ponto
Crédito 3.2 – Plano de Qualidade do Ar, Antes da ocupação – 1 ponto
Crédito 4.1 – Materiais de Baixa Emissão, Adesivos e Selantes – 1 ponto
Crédito 4.2 – Materiais de Baixa Emissão, Tintas e Vernizes – 1 ponto
Crédito 4.3 – Materiais de Baixa Emissão, Carpetes – 1 ponto
Crédito 4.4 – Materiais de Baixa Emissão, Madeiras Compostas e Agrofibras – 1 ponto
Crédito 5 – Controle interno de poluentes e produtos químicos – 1 ponto
Crédito 6.1 – Controle de Sistemas, Iluminação – 1 ponto
Crédito 6.2 – Controle de Sistemas, Conforto Térmico – 1 ponto
Crédito 7.1 – Conforto Térmico, Projeto – 1 ponto
Crédito 7.2 – Conforto Térmico, Verificação – 1 ponto
Crédito 8.1 – Iluminação Natural e Paisagem, Para 75% dos espaços – 1 ponto
Crédito 8.2 – Iluminação Nateural e Paisagem, Para 90% dos espaços – 1 ponto

Inovação e Processo do Projeto – 5 Pontos

Crédito 1.1 – Inovação no Projeto: Insira o título – 1 ponto
Crédito 1.2 – Inovação no Projeto: Insira o título – 1 ponto
Crédito 1.3 – Inovação no Projeto: Insira o título – 1 ponto
Crédito 1.4 – Inovação no Projeto: Insira o título – 1 ponto
Crédito 2 – Profissional Acreditado LEED® – 1 ponto

Total Pontos (pré-certificação estimativas) – 69 Pontos
Certificado: 26-32 pontos, Prata: 33-38 pontos, Ouro: 39-51 pontos, Platina: 52-69 pontos

Custo para certificar:

Estima-se que uma edificação verde certificada pelo LEED pode custar de 15 a 20% mais, porém também há uma valorização do imóvel em 20% (O valor 20% foi estimado pelo Prof. Claudio Alencar, do grupo de Real Estate da Poli-USP) e o custo de manutenção pode diminuir em média 30%.

Os custos diretos da certificação são:

Registro do Projeto junto ao USGBC – $1.200 ou “$900” para membros
Análise de Projeto – $2.250 ou “$2.000” até 50.000Sq. Ft (4645m2)
$0,045 ou “$0,04” /Sq. Ft. até 500.000Sq. Ft (46451m2)
$22.500 ou “$20.000” mais de 500.000Sq. Ft (46451m2)

Certificação Obra – $750 ou “$500” até 50.000Sq. Ft ( 4645m2)
$0,015 ou “$0,01”/Sq. Ft. até 500.000 Sq. Ft (46451m2)
$5.000 ou “$4.500” mais de 500.000Sq. Ft (46451m2)

A consultoria para o processo (não obrigatório) pode ficar em torno de 1 a 5% do valor da obra.

Os dados acima foram compilados do FAQ: http://www.gbcbrasil.org.br/pt/index.php?pag=faq.php

Críticas:

O selo LEED foi criado nos EUA e ainda precisa ser adaptado à realidade brasileira. O que vemos é que alguns pré-requisitos são super valorizados com pontuações altas como é o caso dos sistemas de redução de consumo energético e uso de controle e automação, que acabam encarecendo a obra fazendo com que a sustentabilidade econômica não seja alcançada. O uso de sistemas artificiais de climatização e controle são mais encorajados do que a adoção de estratégias bioclimáticas que, adequadas ao projeto, não geram custos extras a obra e levam a um menor consumo energético e maior conforto dos usuários.

Algumas questões importantes para o Brasil, como a minimização de resíduos, inibição de materiais com conteúdos tóxicos e degradantes,  incrementação dos ecossistemas locais e valorização de aspectos sociais, como o uso de materiais com valor cultural ou com apelo social, não estão sendo encorajados pelo selo, ainda.

Críticas arquiteta Carine Nath da Ecodhome.

Uma obra não precisa ser certificada para ser mais sustentável, porém o que vemos é que os selos trazem uma garantia para clientes e usuários e um marketing positivo ao empreendimento, muito buscado pelos investidores.

Consultoria em arquitetura sustentável

Muito se fala em arquitetura sustentável, mas poucos sabem o que envolve uma consultoria em construção sustentável.

A consultoria, fornecida pela Ecodhome, é uma orientação no atendimento de exigências de sustentabilidade em projetos e obras. A consultoria funciona pelo acompanhamento do projeto do empreendimento e indicação de todas as modificação ou adaptações a partir de avaliações bastante complexas, envolvendo, inclusive, simulações e cálculos.  A consultoria geralmente acontece de acordo com as seguintes etapas:

Indicação das premissas de projeto: a Ecodhome pode ajudar desde a escolha do terreno, optando por locais em que o impacto de uma edificação seja minimizado até indicações da implantação do empreendimento de acordo com estratégias bioclimáticas e premissas da construção sustentável.

Avaliação dos estudos preliminares: a partir da definição da ocupação do terreno, parte-se para a avaliação dos primeiros esboços do projeto, quando são avaliadas de forma mais aprofundada, as questões bioclimáticas. Veja um exemplo de avaliação e indicações para o projeto de uma ecoloja:

Elaboração de relatório final com indicações das minimizações dos impactos ambientais e humanos – nesta etapa, todos os princípios de sustentabilidade são avaliados e as correções são indicadas abrangendo:

Recomendação dos materiais de menor impacto para toda a obra;

Recomendação de estratégias bioclimáticas com simulação computacional para verificação de insolação e sombreamento e recomendação de materiais, componentes e estratégias para melhoria do conforto;

Recomendação para projeto elétrico e luminotécnico, com memoriais de cálculos e especificação de materiais;

Projetos especiais para sistemas de saneamento sustentável (uso racional de água, aproveitamento de água de chuva, reaproveitamento de águas cinza, tratamento de efluentes);

Gestão de obras para minimização dos impactos causados pelo canteiro;

Memorial de minimização de impactos ambientais: especialmente desenvolvido ao final da consultoria para orientar todo o processo e mostrar quais as estratégias utilizadas, como foram utilizadas, memoriais de cálculo contendo porcentagens de economia de energia e água e redução de efluentes e resíduos.

Há ainda outras formas de consultoria na área de construção sustentável e a Ecodhome vem se especializando para atender este vasto mercado que vem precisando cada vez mais de profissionais competentes e especializados:

  • CONSULTORIA PARA CERTIFICAÇÕES (GREEN BUILDING)

A Ecodhome presta consultoria para adequação de projetos de terceiros aos critérios dos principais selos do Brasil: LEED e AQUA.

  • CONSULTORIA PARA SEU ECONEGÓCIO

A Ecodhome, por possuir vasto conhecimento sobre a influência dos materiais de construção e suas substâncias componentes na saúde e na natureza, oferece uma consultoria especial para quem quer fabricar um produto “verde” ou abrir um negócio no ramo de ecoprodutos para a construção. É possível fazer uma avaliação dos produtos e seu ciclo de vida, com base em grande documentação arquivada pela Ecodhome, para assim avaliar seu grau de impacto na natureza.

  • CONSULTORIA EM MATERIAIS

A Ecodhome possui um banco de dados de materiais e componentes de construção e estuda, junto ao cliente, as melhores soluções para a obra, respeitando condições estéticas, práticas e econômicas.