Eco invenções

Aí estão algumas novidades que já estão circulando no mercado:

IMPRESSORA SEM TINTA E SEM PAPEL:

Utiliza folhas plásticas que, através de temperatura, marca a impressão, pode ser reutilizada várias vezes.

CHUVEIRO QUE EVITA A PESSOA FICAR MUITO TEMPO NO BANHO:

O tapete de baixo da pessoa vai formando círculos que avisam a pessoa quando o tempo é excedido.

GRAMPEADOR QUE UTILIZA GRAMPO: por pressão, fixa os papéis.

 

 

 

INTERRUPTOR COM LUZ COLORIDA PARA ENSINAR AS CRIANÇAS A APAGAREM A LUZ:

IPOD QUE É CARREGADO POR FORÇA MANUAL:

BANCADA QUE USA A ÁGUA UTILIZADA NA PIA PARA REGAR PLANTA:

Reforma sustentável: como este edifício industrial antigo virou residencial

Localzado em San Diego, California, este edifício foi construído em 1921 e tem 5800 metros quadrados. Em 1996, o arquiteto Kevin de Freitas projetou uma reforma sustentável, adaptando a estrutura existente para a construção de 3 lofts.

O edifício antes:

O edifício depois:

Para esta reforma sustentável alguns princípios foram utilizados:

  • Aproveitamento máximo da estrutura existente;
  • Reaproveitamento de esquadrias da própria obra ou de outras demolições;
  • Planta baixa livre para minimizar novas construções e facilitar mudanças de layout;
  • Uso de materiais de baixo impacto;
  • Telhado eficiente, durável e com aproveitamento de água de chuva.
Veja algumas imagens internas dos lofts:

Eco atitude do dia – dia 39

A lâmpada queimou? Ótimo, aproveite e troque por outra de menor consumo! Hoje, na casa Modelo, foi trocada a última lâmpada incandescente, por uma de SuperLeds.

Lâmpadas incandescentes liberam a maior parte de sua energia sob a forma de fótons de luz infravermelha carregados de calor. Apenas cerca de 10% da luz produzida alcança o espectro visível, o que dá baixa eficiência energética para a lâmpada. As halógenas, mais modernas e com maior diversidade de iluminação, também são incandescentes e também não são muito eficientes energeticamente. Alguns exemplos de halógenas são (Fonte: Dcoração):

As novas gerações de lâmpadas eletrônicas e leds vêm se aprimorando e hoje podemos dizer que não há nenhum tipo de iluminação incandescente que não podemos substituir por outra de menor consumo. As lâmapadas incandescentes comuns podem ser substituídas por fluorescentes compactas, as dicroicas por dicroicas led, as PAR 20 por PAR 3 superLED:
Veja a comparação:

Um pouco mais sobre LEDs:
Não podem ser chamados de lâmpadas, pois geram luz por um princípio muito diferente, são diodos emissores de luz e funcionam através de um pequeno chip.
O que o LED tem de bom:

  • Baixíssimo consumo, já que os sistemas de iluminação consomem de 1 a 5 Watts;
  • Alta durabilidade, podem durar até 50 vezes mais que uma lâmpada comum, tornando o seu custo válido (geralmente são o dobro do preço das lâmpadas halógenas, por exemplo).

O que o LED tem de ruim:

  • Baixo fluxo luminoso, funcionando melhor quando está próximo da superfície a ser iluminada, não é indicado para pés direito altos;
  • Baixo índice de reprodução de cor: apesar de já haver no mercado LEDs com boa iluminação, seu indice ainda é menor que as halógenas.

Há outras opções para os casos de teto alto e necessidade de boa reprodução de cor?
Sim, para isso ainda há lâmpadas HCI que funcionam com vapor de sódio e são consideradas as mais eficientes do mercado, apesar de serem mais caras também. Saiba mais no site da Osram.

E não esqueça de descartar corretamente sua lâmpada velha! Você pode fazer isso levando até a loja que você comprou!

Interiores reciclados

Com criatividade e bom gosto é possível fazer muita coisa nos espaços interiores com reuso, reciclagem e reaproveitamento de peças. Veja alguns exemplos:

Usar letras de letreiros antigos é uma moda que dá muito charme aos espaços. Entre em contato com empresas de comunicação visual e veja se eles possuem algo que foi retirado de fachadas e lojas:

Usar caixas de frutas para guardar coisas na cozinha também dá um ar vintage e charmoso, procure as feiras e supermercados para encontrá-los:

Sobrou tábua na obra? Lixe bem, passe verniz ou cera e monte uma mesa com pés metálicos:

Jornais e revistas velhas podem virar papel de parede:

Eco lareiras para esquentar o inverno

Com o frio chegando aqui no sul do país, as contas de energia sobem um pouco por causa dos aquecedores e ar condicionados ligados. Saiba como aquecer sua casa sem precisar gastar energia:

Hoje, a opção mais ecológica, são as Eco lareiras a álcool, que são lareiras portáteis e câmaras de combustão que utilizam o tradicional álcool líquido (92,8oINPM), COMPRADO em SUPERMERCADOSe farmácias. Por não ter fumaça são atóxicas, pois têm emissões equivalentes a 4 velas acesas, ao contrário das lareiras a lenha, que emitem várias substâncias que podem ser prejudiciais a nossa saúde. A Eco lareira não precisa de instalações ou chaminés, e podem ficar até 3 horas acesas. veja alguns modelos da Artfire e da Eco Fireplaces:

Se você quer optar por uma lareira a gás ou mesmo a lenha, pode tomar alguns cuidados que vão aproveitar melhor o calor com menos custo. Como é o caso das lareiras metálicas ou as salamandras, que irradiam o calor por toda a sua superfície.

Eco atitude do dia – dia 17

Sabia que o elevador é um dos principais consumidores de energia em um edifício?

Sabendo disso a eco atitude do dia é: subir de escada! Aí você já faz um exercício também, subir pelas escadas pode até reduzir risco de câncer e outras doenças, devido ao aumento de ventilação pulmonar e circulação sanguínea no corpo!

Veja uma reportagem sobre exercícios cotidianos aqui.

Aproveitando o tema, vejamos aí alguns belos modelos de escadas em materiais alternativos:

Escadas práticas:

Escadas diferentes e belas:

Escada diferente