Construção com terra crua

A construção com Terra é uma das técnicas mais antigas utilizadas na construção civil. Seu resgate vem se intensificando na última década na medida em que a demanda por construções mais sustentáveis se estabelece. O alto custo energético dos materiais utilizados hoje (como o tijolo de barro cozido) faz o homem voltar seus olhos para a terra: inesgotável e acessível a todos.
Segundo o ABCTerra, a desvalorização da terra como material construtivo remonta há pouco mais de três séculos, quando a terra crua foi substituída pelo tijolo cozido, posteriormente industrializado e promovido pela sociedade industrial rica em energia (pois sua produção exige a queima de madeira, energia fóssil ou eletricidade). A partir de então, a casa de terra crua passou a significar habitação característica dos menos favorecidos e, portanto, repudiada. Mas este quadro se alterou a partir de 1973, com a crise de energia, aliada às preocupações ecológicas e à mudança de mentalidade dos escalões superiores das sociedades desenvolvidas.

EASTON (2006) acredita que hoje, metade da população mundial ainda vive ou trabalha em construções feitas com terra. Segundo dados do HABITERRA, 200 milhões de pessoas constroem com terra crua ainda hoje no mundo. Para a ABCTerra (Associação Brasileira dos Construtores com Terra), a construção com terra rompe a impessoalidade que caracteriza as construções padronizadas das grandes metrópoles.

Para CASANOVA (2003) as vantagens da construção com terra ainda vão desde a economia até a ecologia. Ele acredita que uma casa de alvenaria de 40 metros quadrados pode ficar 40% mais barata se for construída com terra. Para a mesma casa dispensando-se o tijolo cozido, menos 12 árvores de médio porte ou 170 litros de óleo deixam de ser queimados, gerando menos poluição e CO2 na atmosfera.

A construção com terra passou por inúmeros processos através dos tempos adequando-se às necessidades de cada cultura e local. Muitos estudos ultimamente vêm procurando formas de melhorar o comportamento físico-mecânico deste tipo de material para garantir-lhe longevidade e conseqüentemente viabilidade técnica.

As técnicas que utilizam a terra crua são diversas, podem ser tradicionais e artesanais como:
o Adobe: como os utilizados nessas imagens da casa Cantar do grilo feita pelo escritório português Betão e Taipa:

Pau a Pique, como neste projeto atual:

Paredes Monolíticas (TAIPA), como nesta casa americana:

O Cob., que é um sistema mais artesanal, feito com as mãos, alisando a parede, utilizando uma mistura com esterco:

O Cob Wood, que é bem interessante, por utilizar blocos de troncos de madeira:

Hoje há muitas técnicas atualizadas de construção com terra crua:
PISÉ para paredes monolíticas com uso de mangueira de alta pressão. O Pise é utilizado nas obras do arquiteto David Easton:

BLOCOS INDUSTRIALIZADOS DE SOLO CIMENTO: fabrica blocos de tijolo de solo cimento e vende prensas manuais e hidráulicas. A casa Modelo foi feita em blocos de solo-cimento, veja a parede de tijolos aparentes na escada: