Eco mimetismo – construções inseridas no espaço natural

Um dos conceitos da arquitetura orgânica é o eco mimetismo, que significa estar integrado e partilhando o mesmo padrão, mesmas cores e texturas, de forma que a arquitetura possa ser confundida com o ambiente natural.

Muitas construções ecológicas partem desse pressuposto e o resultado é uma bela integração onde o limite entre arquitetura e ambiente natural ficam quase imperceptíveis:

O arquiteto Mick Muenning utiliza este princípio:

A famosa Casa Buraco, nos alpes suíços:

No Brasil, a arquitetura do sítio Curucaca também ousou num telhado verde que se mistura na paisagem:

Curucaca telhado jardim

Estilos de Eco Casas

Não esquecendo que este blogue também trata de arquitetura sustentável, aí vão algumas eco casas que achei no site da INHABITAT. Saiba que para ter uma arquitetura mais sustentável, não é preciso aderir ao estilo rústico, como muitos pensam, nem abrir mão da tecnologia. Seja qual for seu estilo, sua casa pode e deve ser mais sustentável, veja:

Seu estilo é minimalista? Veja esta eco casa de Amsterdam:

ou esta, de David Easton:

Seu estilo é mais orgânico? Esta casa fica na Suécia:

Seu estilo é contemporâneo, mas aconchegante? Veja esta casa de Bambu:


Seu estilo é mais tradicional? Esta bela casa é feita de terra crua, pelo arquiteto David Easton:

Prefere uma casa ecológica integrada com a natureza? um belo telhado verde faz esta função:

Arquitetura sustentável na França

Fazendo uma pesquisa na internet, encontro este escritório na França que possui muitos projetos de arquitetura sustentável.
É o Olgga Architectes, e sua arquitetura é contemporânea e não tem nada de monótona, cada projeto tem sua peculiaridade. Podemos ver projetos de ecocondomínios com telhados verdes:

Este projeto de casa compacta utilizando containers e madeira certificada é muito interessante:

Outro projeto de casa interessante pelo uso de brises de madeira retráteis e pela estrutura aérea que não interfere no perfil natural do terreno:

O uso de brises na arquitetura contemporânea francesa é bastante comum, com este exemplo projetado pelo escritório:

Coberturas sustentáveis

As coberturas dos edifícios são grandes responsáveis tanto pelo conforto ambiental no seu interior como na qualidade dos ambientes nas grandes cidades. Isto porque as coberturas são um grande pano de contato com o ambiente externo, interagem com os raios solares (absorvendo-os ou refletindo-os), influenciando tanto quem está dentro do edifício como no microclima urbano.

Neste post daremos exemplos de coberturas que podem ser consideradas mais sustentáveis.

As coberturas verdes são as mais populares, sendo os maiores exemplos de cobertura sustentável, pois além de seus ganhos térmicos, possui muitos ganhos para o microclima urbano.

As coberturas brancas vêm sendo muito divulgadas e já existem projetos de leis municipais no Brasil que incentivam o uso de telhas de cor clara. As telhas de cor clara têm alta capacidade reflexiva e impedem os ganhos de calor pela radiação do sol, melhorando o conforto térmico no interior do eficício. Além disso, as coberturas brancas não criam uma superficie quente, melhorando também o microclima urbano. No mercado existem telhas brancas com camadas termoacústicas que aumentam ainda mais o desempenho térmico da cobertura. O uso de coberturas reflexivas termoacústicas contam pontos nas certificações como LEED, Selo Azul da Caixa e AQUA. Se você tem uma cobertura escura, tem a alternativa de pintá-la de cor clara, segundo o Laboratório Lawrence Berkeley,na Califórnia, um telhado pintado de branco reflete até 90% do calor do Sol (diferente dos telhados escuros que absorvem), diminuindo em até 6 graus a temperatura dentro das edificações,com isso reduz de 20% a 70% o consumo de energia ligado a refrigeração dos ambientes( ar-condicionado e ventiladores).

No Brasil, há também telhas de material reciclado, feitas de tubo de pasta de dente ou de embalagens TetraPack. A casa Modelo feita pela Ecodhome tem a cobertura feita por estas telhas, que também são reflexivas devido à presença de alumínio.

.

Há muitas soluções sustentáveis para as coberturas e é incrível pensar que as coberturas dos edifícios de uma cidade podem mudar a qualidade de vida de seus moradores. Portanto, cuidado ao selecionar o material para seu telhado! A Eco-cidade de TianJin, a ser construída na China é um exemplo a ser seguido, com seus telhados verdes e placas fotovoltaicas:

Caso você não abra mão de um telhado tradicional de telhas de barro, há a possibilidade de fazer escolhas acertadas: procure sempre comprar em empresas que têm garantia de qualidade; escolha por telhas sem esmalte, pois elas têm menos componentes tóxicos; escolha telhas de cores mais claras para refletirem os raios solares e utilize mantas de isolamento, muito comuns no mercado e que melhoram em 80% o conforto térmico da casa.

Verde da parede ao telhado

Por que separar o ambiente natural e o artificial como coisas distintas?

Alguns arquitetos atuais vem inserindo as coberturas verdes em seus projetos de forma cada vez mais presente. Como o arquiteto Ken Yeang, que desenvolve até mesmo arranhas-céus verdes do chão ao topo.

Levar o verde vivo para nossos edifícios pode contribuir de forma extremamente positiva para a geração de cidades mais sustentáveis. A inclusão dos telhados verde e paredes verdes nas construções podem ter inúmeros benefícios:

  • Melhora o microclima urbano, sendo capaz de reduzir a temperatura do ar ao seu redor;
  • Melhora a qualidade do ar, tanto interno, como externo pela absorção de CO2 e outras moléculas em suspensão;
  • Melhora o conforto térmico no interior da edificação, reduzindo o consumo energético com climatização;
  • Reduz enchentes por retardar e absorver o fluxo da água da chuva;
  • Afeta o bem-estar psicológico das pessoas, por trazer um maior contato com a natureza;
  • Incrementar o ecossistema local, atraindo pássaros e pequenos animais;
  • Pode ser utilizado para cultivo de alimentos e temperos orgânicos.

As coberturas verdes podem ser feitas de forma plana, no caso dos terraços jardins, ou inclinadas no caso de telhados verdes. Sua sustentação se dá através de laje impermeabilizada ou estrutura de madeira com pranchas que dão suporte a uma lona de impermeabilização, cobertas pelo substrato de plantio. As coberturas podem ser feitas in loco, o que tem um custo reduzido, podendo sair no valor de um telhado com telhas de concreto. Mas também há muitos sistemas prontos no mercado, que, inclusive, têm a vantagem de serem menos profundos (apenas 8cm) e mais leves.

Reformou? vai trocar de telhado? Coloque um telhado verde e garanta muito mais conforto na sua casa, além de melhorar a qualidade de vida na sua cidade. Há sistemas prontos que podem ser colocados sobre seu telhado comum, vêm em placas prontas e custam no máximo R$ 120,00 por metro quadrado. Veja esta idéia da Ecotelhado:

Na Ecodhome, os projetos também são feitos com uso de coberturas verdes, o que faz parte das estratégias bioclimáticas que utilizamos:

Algumas dicas para ter um telhado verde:

  • Garanta que o local tenha insolação ou escolha espécies adequadas ao sol do local;
  • Escolha espécies locais (brasileiras), por ex: grama amendoim, azulzinha, falsa erica, bulbine;
  • Se a sua região for seca, opte por planta de pouca água, como as suculentas;
  • Armazene a água de chuva para irrigação (veja nossa opção de projeto de uso de água de chuva de baixo custo, aqui)

As paredes verdes são uma nova moda que vem sendo muito utilizada em interiores. A solução, além de belíssima, pode melhorar a qualidade do ar por absorver partículas e melhorar a ionização negativa, essencial para nosso bem estar.

Porém, em áreas externas, nas fachadas, elas podem trazer maiores benefícios, por melhorar a qualidade do ar e conforto interno. Veja este exemplo da empresa Ecotelhado, feito da sede do Sicredi em Pelotas:

Algumas plantas tem capacidade, inclusive de absorver compostos voláteis:

  • Dracenas,
  • Pleomeles,
  • Samambaias,
  • Jibóias,
  • Lírios da Paz

Algumas idéias importadas da itália: